Alternativos ao Quadrado.

NOTA: “Locomotiva” é um puteiro famoso aqui de Belém.

____________________________________

Sou um cara careta. Diria mais: sou um cara careta e quadrado. Do tipo que não entende a lógica de convites como “vamos tomar banho de chuva?”, ou “canta uma musica pra mim?” ou “você não quer tirar seu cartão C&A, senhor?”.  No primeiro caso porque normalmente eu ando de carro, e o motivo do carro ter teto e janelas com vedações passa em grande parte por poder ir de um lugar pra outro sem se molhar. Claro, também passa por poder dar uns amassos no estacionamento do shopping sem maiores importunações, mas isso é outra historia.

No segundo caso, é porque eu não canto bem e, mesmo assim, fazer qualquer show pra um público de apenas uma pessoa faria qualquer um desistir da carreira. Exceto, talvez, as meninas do Locomotiva, onde isso é considerado bom (dizem que as cabines individuais rendem mais). Enfim, no terceiro caso eu só não gosto da C&A mesmo.

Bom, voltando a minha caretisse e… sei la, quadricularidade (se é que existe essa palavra), quero falar sobre o quanto me sinto deslocado quando convivo com neo-hippies alternativos. Os neo-hippies alternativos são caras normalmente cultos, em uma certa forma, sensíveis a arte, em uma certa forma, e mente aberta, em absolutamente todas as formas que você puder imaginar. Não estou falando de uma abertura mental pequena, mas uma abertura tão estonteantemente grande que são incapazes de discernir uma ação boa de outra que causará um problema muito sério. A não ser, claro, quando o problema em questão se relaciona a eles mesmos, se relaciona a outros hippies, ou se relaciona a eles mesmos se relacionando com outros hippies. E se relacionar, acredite, é uma coisa que eles realmente gostam de fazer.

No mais, a vida dos neo-hippies alternativos se baseia em conversar em botecos baratos em tardes de segunda-feira, bebendo bastante, tirar fotos artísticas semi-profissionais de detalhes da vida que passam despercebidos por nossos olhares capitalistas e insensíveis, como, por exemplo, um garfo num bolo, alguma sombra na parede ou um par de óculos. Ou quem sabe tudo isso junto (sempre em preto-e-branco e ligeiramente desfocadas), fumando bastante, e, sair com os amigos pra conversar sobre filmes, musica e fotografia, obviamente, bebendo e fumando bastante (os dois primeiros sempre muito antigos. As fotografias não são muito antigas, mas sempre em preto-e-branco e ligeiramente desfocadas, o que da uma cara de muito antiga).

Depois disso se relacionam.

Uma coisa interessante sobre os neo-hippies alternativos é o fato de quase não terem amigos old-hippies comuns, ou não-hippies limpos. Talvez pelo fato dos primeiros se lavarem muito menos e se drogarem muito mais e dos segundos se drogarem muito menos e se lavarem muito mais… não sei. O fato é que existe alguma incompatibilidade que impede que essas castas se relacionem entre si. Estudos dizem que os não-hippies limpos são muito suscetíveis ao suicídio após 3 anos escutando somente Tropicália e o Clube da Esquina.

Mas uma coisa é certa: esses caras sabem mesmo curtir a vida. São  os Kramers da sociedade: fazem o que querem, ficam porres nas segundas-feiras, saem às quartas, fumam às sextas e sempre tem dinheiro pra fazer tudo isso de novo na outra semana.

E, claro, se relacionam (muito mais que eu).

Anúncios

Direito e Relacionamentos (conhecimentos de Direito required)

Tava eu lá de boa, sem fazer nada, quando me veio uma idéia bem idiotinha de escrever sobre Direito e Relacionamentos, como poderiam se comparar/relacionar.

Podem meter pau a vontade, críticas e mais dicas serão bem vindas, se for legal a sugestão eu posso ir adicionando até ficar um texto enorme! Lá vai:

Na hora da conquista, para conquistar o seu objetivo, você pode ir atrás de um cupido, algum amigo pra fazer os papos por você, como se fosse um advogado. Ele vai fazer os papos com a menina, fazer a aproximação, como se fosse uma ação homologatória. Claro que você pode não precisar desse amigo, você pode ir lá sozinho, jus postulandi está ae pra isso.

Depois dessa prévia ação homologatória, o processo vai para o Ministério Público, que no caso é a mãe da menina, que vai ficar vigiando todo o processo, pra ver se está tudo certinho. Vai dar o parecer e o processo vai concluso para o juiz, que é o pai, que vai decidir tudo, homologando ou não, concordando ou não com o relacionamento.

Claro que de qualquer forma, tal qual na vida real, o direito é colocado de lado muitas vezes, podendo o casal dispensar as formalidades, fazendo tudo por baixo dos panos da toga do juiz, o pai.

Bom, a instrução é sumária dependendo do advogado, se tiver bem instruída a inicial, na volta do MP, que é a mãe, o juiz decide logo, sem precisar dirimir dúvidas. Se não, se for um pai bem mau e o valor da causa for alto o suficiente, ele pode marcar uma audiência de instrução para verificar melhor. Sobre o valor da causa, não vem querer pedir justiça gratuita que é indeferimento de pronto por ausência de preparo. É bom que o valor da causa seja bem alto e que você pague todas as custas, leva logo umas DARFs que tu vai ter que pagar uma porrada de coisa.

Na audiência de instrução, que provavelmente vai ser marcada na casa dela, com o pai e a mãe, ela você vai ter que levar todos os meios de prova necessários pra conseguir uma boa sentença, toda a documentação padrão: CTPS pra provar que você ganha o quanto você disse que ganha… documentos do carro pra você provar que tem o carro que você disse que tinha… comprovante de residência pra você provar que você mora onde você disse que mora…

A mãe agindo como o MP vai querer arrolar umas testemunhas, como o irmão da menina, por exemplo. Nessa hora você contradita ele, tem que desqualificar ele pra ser no máximo um informante por causa do parentesco, até porque é difícil prestar um depoimento autorizando um cara de fora a comer a sua irmã.

Voce pode levar também suas testemunhas, no máximo umas três pra não encher a casa do velho de gente. Voce vai ter que instruir muito bem suas testemunhas, o Ministério público fica de olho e qualquer informação contraditória ele vai cair de pau em voce… O carteiro vai dizer “toda vez que eu chego lá na casa do Osmar, ele está lavando o seu Honda civic na porta de casa” ae a doméstica vai dizer “tenho muito trabalho no apartamento do seu Osmar, são muitas suítes”.. o pai vai perguntar “é apartamento ou casa, hein, Seu Osmar?”… “Os dois, excelência..”

Terminada a fase de instrução, virá o julgamento sem relatório.  Se for favorável, você vai ver a maior fundamentação jurídica do mundo e claro que vai ser uma sentença parcialmente procedente, visto que pra ser totalmente procedente até o cu da menina o pai iria ter que liberar, o que é inadmissível já que esse objeto não é juridicamente lícito de se pedir, por questões morais. Se bem que muita gente reivindica como direito disponível, mas isso é outro papo.

Se for sentença desfavorável, não vai ter fundamentação, você vai ter que adivinhar porque não foi aceito. Não adianta entrar com embargos de declaração por omissão dizendo que prejudica a ampla defesa, que o pai dela não vai estar nem ae pra você.

Nesse tipo de caso, só tem um tipo de recurso pra você ir atrás. Todo o processo até esse ponto foi feito em segredo de justiça pra preservar a identidade das partes, visto que você não quer ficar conhecido como “o cara que pegou o fora da família toda”. Mas se você quiser recorrer, terá que dar publicidade total ao seu processo: ir no programa Casos de Família do SBT.

Ae Povão!

To meio com vergonha.

Um blog tão bonito e tão abandonado por seus donos! É uma vergonha.

Vergonha.

Mas cheguei aqui pra responder a algumas perguntas que fizeram aqui!

Felicidade.

P: Por que tão desatualizado?

R: Porque nenhum de nós é “blogger” e ninguem tem saco de ficar fazendo posts legais toda a semana, estamos com um plano de escalas de posts pra todo mundo participar, mas o Rominho não sabe mexer nem no pinto dele, quanto mais nesse site.

P: Quando vocês vêm fazer show na minha cidade? Eu amo o Murilo!

R: Basta você procurar algum produtor da sua cidade e pedir isso, ele fará o resto! Como encontrar ele? Tente saber “quem trouxe” o último comediante stand-up pra sua cidade, esse cara vai nos achar e vai saber o que fazer! (Tel da produção: (91) 8411-1014) Quanto ao Murilo, ele ama você também.

P: Quando vou poder ouvir as aventuras de Tarcísio – O Gordo Peitudo novamente?

R: Em breve, vamos colocar no youtube os episódios assim que os desenhos-capa de cada episódio ficarem prontos!

Continuem visitando aqui, por favor!