Um novo lar.

NOVIDADE!

Agora mesmo (15h do dia 18/02) acabei de receber a confirmação de que o Murilo Couto estará presente nessa nossa estréia! Nada mais justo do que ter o grupo completo e unido nesse dia tão especial! Valeu Murilão! Filma eu, Galvão!

P.S. antecipado: o Grupo Em Pé Na Rede agradeceria muito, muito mesmo, se todos os donos de blogs e/ou envolvidos com meios de comunicação nos ajudassem a espalhar as principais informações contidas neste post! Obrigado!

“Tudo era apenas uma brincadeira E foi crescendo, crescendo, me absorvendo E de repente eu me vi assim completamente seu Vi a minha força amarrada no seu passo Vi que sem você não tem caminho, eu não me acho Vi um grande amor gritar dentro de mim como eu sonhei um dia” (Caetano Veloso – Sonhos)

É, meus amigos. O Em Pé Na Rede começou como uma brincadeira e tornou-se algo maior que imaginávamos na época do Clube da Piada, com público de 10-15 pessoas (todos amigos) e a vontade de fazer as pessoas rirem era o que fazia a gente continuar indo lá e se divertindo (até mesmo mais que as pessoas, até hoje). Hoje em dia os shows já não mostram mais rostos conhecidos. Muita gente de fora, muita gente que nunca vimos na vida aparecem por lá e ajudam a fazer os shows que tanto nos divertimos e temos carinho em fazer. Estávamos em temporada no Bar Relicário, todos os Domingos, 20h, como sempre divulgamos exaustivamente.

MAS!

Partimos para um ambiente maior e mais confortável, que pode alojar mais pessoas nos nossos show semanais. O nome do lugar é “Garota da Bráz”. É um bar novo na cidade e já muito bem falado por ter uma cozinha boa, ser bem localizado e muito mais outros atributos que nos convenceram a mudar de casa!

Vamos dar uma pequena pausa no domingo de carnaval (14/02) e voltaremos com tudo no outro domingo, dia 21 de fevereiro com muitas atrações! Tentaremos deixar a noite mais animada com outras coisas além da Comédia Stand-up que costumamos fazer pra vocês!

Já até falamos pro Murilo dar um olé na Globo e vir fazer essa nossa estréia mais feliz e completa!

Agora só temos que contar com vocês pra lotar aquilo ali e fazer valer nossa mudança de casa, podemos ficar tranquilos? 🙂

SERVIÇO:

O QUE: Em Pé Na Rede + Convidados + Banda Mostarda na Lagarta (agora plugado)

ONDE: Garota da Bráz (Braz de Aguiar, 716 Entre Generalíssimo e Quintino)

QUANDO: TODOS os domingos (começando no dia 21/02) a partir das 19:30

QUANTO: R$15 simples ou R$20 casal (mas tem que se pegar pra confirmar)

Anúncios

DESABAFO

Hoje eu quero falar da minha indignação com um dos ultimos grandes sucessos do cinema, que contraria tudo o que nós aprendemos sobre uma das mais exóticas criaturas das trevas… sim você já deve saber que estou falando de “Crepusculo” e “Lua nova”. Vou explicar como é o enredo do filme (falando enredo porque estamos no ritmo de carnaval). Então… é um filme de vampiros emos! Explicou? Sim né… como se ninguem houvesse otado isso, mas vou continuar, eles sempre estão maquiados, todos maquiados e são os populares da escola bem no estilo americano de viver (nesse momento em que escrevo isso dei uma pausa para socar a parede de tanta raiva que tenho dessa porra)

Eles estão em toda parte na escola, as pessoas nem querem ve-los, mas eles sempre estão lá e é impossível não olhar pra eles porque eles são que nem aqueles emos do shopping, meio aviadados que se vestem estranho e acham que são invisíveis. No meio do filme um dos vampiros diz que é vegetariano, ai eu vendo o filme falei: “pronto era o que faltava, vampiro nesse filme não suga sangue, suga a seiva elaborada da planta”, eu juro que eu imaginei aqueles vampiros dançando em alguma passeata gay, porra… nada contra os gays, mas que eles coloquem no filme explicando isso e não fingindo que eles são héteros.

A maldição que cerca os vampiros nesse filme é muito estranha, tem um momento em que um deles chega para a menina humana que ele resiste em não “comer”, entendam como vocês quiserem isso, e fala “veja o que acontece comigo no sol” ai eu pensei “pow, ele vai se queimar no sol só pra mostrar pra ela”, mas não ele fica todo purpurinado e brilhando, e grita: “veja, eu sou um monstro”, que merda gigante, eu ouvi dizer que a autora dessa enorme BOSTA disse que o objetivo era atingir o publico infantil e que um vampiro queimar no sol era muito violento! Violento fiquei eu ao ouvir isso,

A maldição deles é ficar purpurinado e virar uma drag e não é pelo fato de ser homossexual que eles não gostam, é pelo fato de ficarem felizes com a purpurina, eles ficam mal pensando “não posso ficar brilhando, eu sou emo, tenho que ser triste”. Eu fui ver no dicionário o que significa crepusculo e esta exatamente assim “luminosidade INDECISA que precede o nascer do sol ou que resiste algum tempo após o ocaso”, é uma luminosidade INDECISA,altamente emo isso, mas foi perfeito para o filme,

Mandou eu ler eu durmo

Eu sinto muito sono quando vou ler, se eu for ler uma história pra alguma criança dormir eu durmo primeiro que ela. Quando tenho que estudar pra faculdade eu fico em uma batalha épica contra mim mesmo, parece que me doparam e eu fico tentando resistir, mas é impossível vencer, você fica lendo a mesma pagina 30 vezes, não aprende porra nenhuma e não consegue nunca terminar aquele texto.

Aquela coisa te consome, você chega no fim da pagina e fala pra si mesmo “do que ele ta falando, quem é Roger?” e lê a pagina inteira de novo, percebe então que a resposta pra quem é Roger deve estar nas 2 paginas anteriores que você já leu mas tava cansado de voltar e resolveu passar, ai você fala pra si mesmo “mas na frente vão explicar de novo com certeza quem é Roger”, mas é ai que você se engana, a merda do livro te testa logo de cara e não fala mais nada sobre Roger nenhum, mas como tu ta fudido de cansado e não quer mais ler nada, até porque já estas na pagina 10 do livro e não agüenta mais, você o fecha e dorme.

No outro dia você vai pra aula, meio preocupado com a prova… quando você recebe a prova vê que lá tem apenas duas questões e cada uma vale 5 pontos, as perguntas são “quem é Roger” e “o que você acha de Roger”. Ahhh eu odeio textos de faculdade!

Fui à feira do livro e descobri que não consigo mais ler… É culpa da merda da internet… Olhei um livro e fiquei procurando login… “como conecta aqui esse livro? Esse livro tem comunidade?”.Cheguei à feira com uma meta… Rodei, rodei e encontrei o que eu queria… Fox vídeos.

Acho bacana como muita gente vai na feira do livro “charlar”, fica olhando os Best Sellers só pra ver quais os filmes que vai assistir nas férias, porque se o livro vendeu, já já ta no cinema e ninguém vai ler né? Mas ai quando o carinha sai do cinema fala “o livro é bem melhor que o filme”… nem leu porra!!!

As pessoas escolhem cinema ao livro por que… cinema é sete reais… O livro custa 30 no mínimo, o filme tem duas horas no Maximo e você sabe de tudo… O livro leva no mínimo uma semana, no filme você ainda pega uma mulher… No livro você deixa de pegar… Pau no cu do livro!

Na feira tinha promoção de R$ 3,00 por um livro, e é tão barato que você é quase coagido a comprar, quase uma hipnose do livro você acaba dizendo a sim mesmo “eu preciso levar um livro… ta muito barato, muito barato, eu nem vou ler, mas preciso ter”. Na feira do livro eu vi um livro com o título “as mulheres gostam só de dinheiro”, depois desse título não preciso mais ler nada, já aprendi tudo que precisava saber… Eu acho que não era livro… Era um bloco de notas com um ensinamento importante para minha vida, você lia o título e anotava suas próprias experiências.

Eu vi um título assim “os homens que não amavam as mulheres”, porra porque eles não simplificaram? “viados” pronto… já sabia do que se tratava! Muita gente me fala “só vou no ultimo dia da feira do livro porque é mais barato”, o problema é que todo mundo pensou nisso, mas na verdade ninguém vai no ultimo dia porque é mais barato é porque é a ultima chance de que a pessoa tem de mostrar a sociedade que ela lê livros, ela não quer comprar porra nenhuma, ela espera ansiosamente encontrar alguém conhecido na feira pra ficar mostrando que ela ta lá, que a cultura é importante, e fica mostrando tipo “olha o que tem aqui na minha mão”, mas ta pensando tipo “finalmente alguém já me viu aqui nessa merda, agora já posso ir pra casa ver minha TV”.

Acordar cedo é tão bom…

Acordar cedo é o fim da picada, aliás vou abrir um parentese aqui, fim da picada é uma expressão meio sem pé nem cabeça, pois ela significa o momento em que sua paciencia acaba, e este acontece no fim da picada? Quando a picada tava no meio você não se incomodou? Uma picadinha tá tranquilo?

Enfim… acordar cedo é algo que me deixa profundamente mal, até porque se você acorda cedo você teve que dormir cedo, ou pelo menos dormir mais cedo do que você realmente queria e se há uma coisa que eu goste de fazer é ver TV, séries, filmes ou qualquer p@##@ que esteja rolando na TV de madrugada, meu vício em assistir TV é quase um vício terminal em heroína… as vezes estou com dor de cabeça e com os olhos pesado, mas a TV ainda ligada, mesmo que eu nem esteja mais olhando pra tela, apenas escutando o som distorcido e incompreensivel.

Outro motivo que não gosto de acordar cedo é a maneira como te obrigam a fazer coisas 8 da manha… 8 da manhã é um momento em que queria estar tomando um café no MÁXIMO e não mais que isso, e claro pronto pra voltar a deitar… que mania é essa de que todo mundo tem de que fazer as coisas cedo é bom? Que maldita cultura viciada em trabalhar é essa?

Acordar cedo é tão bom quanto dar com o dedinho do pé na quina da parede, ou com a canela na quina da mesa de vidro da sala… delícia!!

O QUE EU FIZ NAS FÉRIAS?

Engraçado quando chegam as férias… a palavra férias vem com um ar de praia, sol e curtição…

é… essa sensação dura por alguns dias até você se deparar com a “mofação brutal”. O que seria isso?

A “mofação brutal” é aquele momento em que vendo TV você se toca de que perdeu um dia inteiro comendo passatempo e não escovando os dentes, no qual a preguiça e tanta que você reclama de tudo, da falta de vontade de ir tomar banho, da chuva, do passatempo, de palavras como curtição…

Chega um momento na vida em que você é dominado pela “mofação” e começa a passar pelas etapas que são inerentes a este tão comum evento.

1º etapa consciência:

É o momento em que a pessoa nota que esta mofando e então quer começar a vencer a preguiça e o tédio mas acaba sucumbindo.

2º etapa negação:

começa a fingir que não está mofando e que realmente gosta de ficar o dia inteiro no twitter escrevendo sobre como não está fazendo nada para seus 39 seguidores

3º etapa ira:

levanta da cadeira e fica com raiva de ter perdido tempo, esbraveja, xinga o programa de TV, o computador o misto quente (enquanto come mais um pedaço), joga o misto quente em cima da cama (mas pega rapidamente de novo para dar uma mordida)

4º etapa tristeza:

acha que nada vai resolver seu dia miseravel, bate angustia, fica na janela, pensa em como ganhar a vida e viajar sonha e encontrar diversão no horizonte

5º etapa intelectual:

fase em que toma um banho, se arruma e se perfuma, então pega um livro e começa a ler (pois ler é algo altivo e sublime para as pessoas, se elas estiverem lendo parece que não perderam tempo)

6º etapa mofação brutal:

joga o livro para o lado da cama, tiram a blusa (no caso das mulheres tiram adereços como brincos, anéis e etc…) ligam o PC e a TV, pegam o passatempo e o ciclo se reinicia

BOAS FÉRIAS

UMA HISTORINHA BESTA

Hoje eu estava pensando “tem coisa melhor do que se confraternizar com os amigos, contar coisas novas e ouvir histórias novas?”, em homenagem a isso eu comecei a pensar que ficar a beira do rio, pegando um vento com um “solamar” é muito bom, mas que passa algumas horas vem um “mormaço” que eu vou te contar, o que fazer em uma hora dessas? Fui no ver o peso tomar um açaí, a vendedora me disse que o açaí dela era um pouco diferente, mas eu falei “me da logo esse açaí biruta”,  ela me disse que a família vendia a gerações esse açaí, desde a época dos “templários”, o que me fez ficar muito assustado, pois lembrei de uma antiga historia de um homem, ele fazia parte daquele grupo de “boêmios” que iam trabalhar só no dia de “são nunca”, mas então chegou ao Brasil “dom visconde” vindo de “barcelona”, desceu de um navio… sabe todo… todo “prime”… e disse “sou devoto de “são Matheus”, atravessei marés e até mesmo a “pororoca” pra chegar aqui, quero uma bebida, e logo lhe apontaram o “bar do Parque”, e pra lá ele foi, chegou rápido já que não existia “transito” e lá encontrou o homem e seus amigos e perguntou ao seu assistente “quem são eles?” o que prontamente foi respondido são da “grande família” de um “rancho, não posso me amofinar” na presença deles falou o dom e como precisava de empregados falou rispidamente – passem em meu “escritório” que quero oferecer uma proposta de em prego pra vocês, mas o homem se irritou e pensando que ele vinha da Inglaterra falou seu “iron pig”, quem você pensa que é? Vá para sua casa agora e então o dom foi, e chegou a sua “casa de 11 janelas” ficou abismado ao “ver o rio” pela sua beleza e gritou isso tudo “é do Pará”… emocionante lembrar que tudo isso foi visto só por alguns ribeirinhos que estavam em uma “palafita” perto de um “mangal das garças” caçadoras de caranguejo, mas olha o tempo que faz isso, antes da época da “vitrola”, me perguntaram se isso foi depois da “pirâmide” lógico né po, mas quem me perguntou isso foi a “garota da braz”, mas voltando a historia… depois do convite feito ao homem e seus amigos, estes ficaram curiosos em saber qual era o emprego, o que depois souberam se tratar de cuidar de uma plantação de café que ainda iria ser cultivada, ou seja, um “café imaginário” ainda, mas quando chegaram lá dizendo que fariam esse café com amor, que seria um “café com arte” o dom alegou não saber o que eles estavam fazendo ali, que não se lembrara do dia no bar, o homem e os amigos gritaram que ele estava com “amnésia”, o homem e os amigos foram embora, foram beber “café taverna”, ou seja, aqueles que vendem em qualquer buraco mesmo, mas pensaram e decidiram voltar ao “parque da residência” do dom e fazer a plantação na madrugada, e assim fizeram, quando terminaram se esconderam em uma “caverna” para ver a reação do Dom, quando o mesmo acordou e viu o cafezal lindo indagou quem havia feito tal maravilha e o homem e seus amigos se apresentaram dizendo que estavam prontos pra o trabalho então fez-se um “teatro da paz” ali no pátio da casa.